Setembro 2011

A silenciosa mudança no cenário político

0 comentários
Numa entrevista feita recentemente pela revista Piauí, o pastor Silas Malafaia relata que foi chamado pessoalmente pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, ao seu escritório. A princípio, a suposta tentativa de aproximação — válida e sadia — do prefeito por essa classe religiosa não é novidade (veja aqui). O fato é que o motivo do encontro entre os dois foi um boato sobre a candidatura de Malafaia à prefeitura da Cidade Maravilhosa.

A reportagem diz:
"Silas: “Respondi que nem pensar. Mas ele sabe que trago votos”. Em 1995, quando o bispo Von Helder, da Universal, chutou uma imagem de Nossa Senhora na televisão, Malafaia foi um dos líderes evangélicos que saiu publicamente em sua defesa. Edir Macedo ficou bem impressionado e o convidou para se lançar candidato a deputado federal em 1998, com a perspectiva de construir o seu nome como alternativa da Igreja Universal à Presidência. “Mas não era minha praia. Não nasci para ser político, sou um pregador”. A recusa lhe custou o programa que tinha na Record. Desde então, a relação com Macedo é turbulenta.
"Arrumei 200 mil votos para o Marcelo Crivella [
senador eleito pelo PRB do Rio e sobrinho de Macedo] e o tio dele vem me fazer uma dessas. Ele ia perder pro Picciani, eu me desdobrei... Agora a gente vê quem é o venal”, disse.

Leia Mais em: 
http://www.genizahvirtual.com/2011/09/vitoria-em-cristo-de-silas-malafaia.html#ixzz1ZRwcmdq1
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike



Para Paes, Malafaia seria um adversário na corrida à prefeitura do Rio nas próximas eleições


Veja a confirmação desta notícia clicando neste link.


O ocorrido sempre traz a tona a velha e conservadora discussão de até aonde política e religião convergem de uma forma correta.

À margem de todos esses acontecimentos, o que vem acontecendo é a transformação de uma sociedade nos campos de novas leis. Eis aqui algumas que podem ganhar espaço e legitimidade se essa discussão infrutífera permanecer. Segue um texto postado pelo Ap. Raimon Ladislau. (
http://www.igrejaalianca.com/palavra-apostolica/143-a-implantacao-do-governo-do-justo.html )


"Para você ter uma idéia já tem vários projetos de lei prontos contra a igreja, vou citar alguns.
PL 102/03= trata sobre poluição sonora, mas busca fechar as igreja por problemas com o som.
PL 1151/95= sobre casamento gay. As igrejas que não realizarem casamento de homem com homem, mulher com mulher, estarão fazendo discriminação e, portanto poderão ser multadas e os pastores processados. Este projeto prevê, também, que o dia do “orgulho gay” seja oficializado em todas as cidades brasileiras.
PL 122/06= considera crime inafiançável qualquer manifestação contraria aos homossexuais e suas práticas em qualquer local público, inclusive nas igrejas, com pena de 2 a 5 anos de cadeia para os pastores. 
Portaria do Ministério da Saúde que já incluiu no sistema único de saúde (SUS) as cirurgias de “mudança de sexo” pagas com dinheiro de todos nós contribuintes. Esta operação custa hoje R$20.000,00, e aqueles que realmente precisam, morrem nas filas aguardando sua vez que parece nunca chegar. Depois de feita a cirurgia podem mudar o nome da identidade.
Projeto de legalização das drogas. Querem oficializar a liberação do uso da maconha, inclusive com o forte apoio do atual Ministro do Meio Ambiente.     
A LEI 10.257/01= já esta em vigor em nível nacional, agora quando os municípios adotarem em seus Planos Diretores, apenas serão construídas as igrejas que tiverem a aprovação dos visinhos num raio de 500 metros.
Na Bahia, o poder público autorizou a colocação de estatuas de Orixás no Dique do Tororó, para que sejam realizadas oferendas aos deuses africanos. Animais mortos durante os rituais de sacrifício estão causando um desastre ambiental.
Projeto cobrando impostos das igrejas. O seu dízimo, a sua oferta, a sua contribuição estará sujeito a cobrança de impostos.
Reforma Política. Querem aprovar a votação por lista para que os evangélicos fiquem de fora dos processos eleitorais, não podendo mais ocupar cargos públicos. 
PL 952/03= Estabelece que sejam crimes os atos religiosos que possam ser considerados abusivos a boa fé das pessoas. Os pastores serão considerados “criminosos” por ensinarem sobre dízimos e ofertas.
PL1.154/03= proíbe a veiculação de programas que o teor seja considerado “preconceito religioso”. Se aprovado será considerado crime pregar sobre idolatria, feitiçarias e rituais satânicos... A verdade sobre esses atos contrários a palavra de Deus não poderá ser mais mostrada.
Proposta de alteração na Constituição para proibir o culto fora dos templos (evangelismo na rua).
PL 229/99= se aprovado vai limitar os programas evangélicos no rádio e na televisão para apenas uma hora por dia. O restante da programação não poderá ter cunho religioso.
PL 6.398/05= apenas poderão fazer programas de rádio e televisão pessoa com formação superior em Jornalismo. A maioria dos pastores não poderia atuar no rádio e na televisão.
Acordo Brasil-Vaticano- permitirá ao Estado custear todas as despesas relativas à Igreja Católica, além de reservar terrenos para a igreja Católica nos planos diretores das cidades."




Marcel Alexandre é tido como o "primogênito" do projeto intitulado "Governo do Justo"

Em abril de 2009, foi lançado num grandioso congresso protestante da visão celular, um projeto chamado "Governo do Justo". Clique aqui e aqui para saber mais sobre isso.Um dos expoentes desse projeto é o terceiro vereador mais votado da cidade de Manaus, o também Ap. Marcel Alexandre. 

Confira 
aqui sua entrevista e constate que o país vem, lenta e gradativamente, mudando.


    

Yonggi Cho é acusado mais uma vez

0 comentários




Paul Yonggi Cho, o líder da maior igreja protestante do mundo e referência para muitos líderes brasileiros está sendo investigado pela justiça de seu país, a Coréia do Sul. Ele é acusado por 29 membros da sua própria igreja, a Igreja do Evangelho Pleno, em Seul, de ter desviado 14.6 milhões de euros para socorrer seu filho. "Reunimos provas suficientes sobre a má gestão dos fundos da igreja e continuaremos a lutar no tribunal." disseram os líderes responsáveis pela acusação a Yonggi Cho, que classifica o ato como uma "Campanha de difamação".

Segundo testemunhas sul-coreanas, Cho realizaria milagres de cura somente ao passar do lado delas


Cho, de 75 anos, é o pastor titular da Yoido Full Gospel Church ( Igreja do Evangelho Pleno), desde a sua fundação, em 1958. A instituição conta atualmente com cerca de 800 mil membros espalhados pelo país nas ramificações da igreja que, durante alguns anos, chegou a contar com 20 mil novos convertido por ano para a religião protestante. Por conta desse fato, Cho inaugurou uma inspirada forma de continuar crescendo apesar dos limites físicos e geográficos: 


             "Nós informatizamos tudo na igreja, em todos os aspectos! Nós também usamos a Internet. Agora mesmo estamos oferecendo uma igreja "on line" onde pessoas podem participar nos cultos através da Internet. Queremos levar as pessoas para a Internet. A Coréia é um país bem pequeno de tal maneira que não podemos ampliar a igreja através de prédios. Além disso, todos os anos temos 20 mil novos convertidos em nossas igrejas, e nós não podemos colocá-los em nossos edifícios. Então temos uma igreja "on line" para que todos possam participar dos cultos em suas próprias casas."

Conta ele nesta entrevista .

Não é a primeira vez que Cho é acusado de algo. Na década de 90, o pastor sul-coreano foi duramente criticado pelo escritor norte-americano Dave Hunt, no livro "A sedução do cristianismo". Nele, o autor afirma que o pastor era responsável por um ensino herético, usuário de ensinos religiosos orientais, como o budismo, e que  distorcia o ensino bíblico.

Ainda na década de noventa, logo após o boom da igreja em Seul — que obteve seu crescimento em larga escala principalmente por conta da ferramenta intitulada como 'células', criação do próprio Yonggi Cho — ele mudou seu nome, utilizando então o "Yonggi", segundo o próprio, por inspiração do Espiríto Santo. Contudo, segundo o jornal CPAD ( Casa Publicadora das Assembléias de Deus) o motivo foi uma desavença entre ele e seus irmãos de sangue.

Ante à todas essas acusações, o fato é que Cho, escritor livros que foram sucessos de venda no mundo inteiro, como "A Quarta Dimensão", "Oração a Chave do Avivamento" e "Solução para os Problemas da Vida", é um influenciador das igrejas protestantes das Américas e que, por conta também de sua iniciativa, a Coréia do Sul é hoje o maior país asiático com número de Cristãos. São 8,6 milhões de protestantes contra 5,1 milhões de católicos enquanto 10 milhões de sul-coreanos são budistas.

"Só se taca pedra em árvore que dá fruto"

0 comentários
O Bispo Edir Macedo, presidente da Igreja Universal do Reino de Deus, a maior numericamente em membros da América Latina, criticou na última semana publicamente os 'levitas' ( nome pelo qual músicos que tocam nas igrejas protestantes do país são reconhecidos) alegando que não erraria em arriscar que 99% de todos esses são "endemoninhados". Para ilustrar sua indignação e denúncia, usou uma foto da cantora, contrata também da Som Livre, Ana Paula Valadão, líder de um dos maiores grupos da corrente, o Diante do Trono, que teve seu boom na década de 90 juntamente com sua igreja em Minas Gerais.

Silas Malafaia, como de costume, fazendo-se de uma espécie de atalaia da utilização dos bons e bíblicos costumes evangélicos, rebateu. Segundo o próprio, a motivação da declaração não passa de mercadológica. Veja a seguir.






O Apóstolo Renê Terra Nova (@ReneTerraNova), do MIR, Líder da Visão Celular no país, sem citar nomes, assim como Malafaia, se declarou chocado por meio de seu twitter, e, usando sua posição de profeta, disse acreditar que " Deus vai tratar essa situação de forma tão visível que gerará um temor em toda a nação. Os levitas são a Menina dos Olhos do Eterno" afirmou ele.

Ana Paula Valadão, a personagem da indignação do Bispo e dono da Rede Record, respondeu dizendo que não se intimidará com as acusações a continuará com sua conduta. Muitos outros cantores como o vocalista de uma das bandas mais importantes do cenário gospel, o Oficina g3, Mauro e André Valadão se mostraram publicamente contra a posição de Macedo.


Por trás de todas essas questões surgem inúmeras outras, que, para muitos, podem ser muito mais relevantes do que o adendo de Macedo. O fato é que, bíblica e historicamente, os levitas eram uma classe especial, foram separados, e até hoje se diferem em seus afazeres eclesiásticos, em sua postura e no tratamento religioso. Logo, uma acusação como essa, é, nada mais , nada menos, querer insinuar que a igreja nacional como um todo está arruinada como instituição.

Outro assunto relacionado à esse também é o fato da igreja evangélica, hoje, ser uma das maiores escolas de formação de músicos seja para o meio secular ou não. Em quase toda grande banda há algum músico que aprendeu suas primeiras notas em igrejas com acústica precária, e muitas vezes sem ter seu esforço reconhecido (umas das explicações do grande êxodo do músicos nesse nicho e da alta rotatividade dos mesmos nos altares/palcos dos templos).

Em tempo: o Brasil caminha hoje para uma estágio que alguns classificam como 'maturidade'. O que disse o apóstolo Terra Nova disse em um de seus tweets pode ser um exemplo: " Prefiro um Raul Gil dando oportunidade aos levitas do Brasil do que um chamado bispo criticando nossos nobres do altar". Nos Estados Unidos é comum a presença de músicas de caráter gospel  (tanto em mensagem quanto em estilo musical) estarem figurando entre as mais tocadas dos país. Não raramente famosos artistas norte americanos que fazem sucesso além fronteira ou são ou vieram de um escola e família protestante. O programa do Raul Gil, no SBT, que vem sendo um dos líderes de audiência em seu horário, diga-se de passagem, nesse sentido, é pioneiro por introduzir esse encontro entre o gênero gospel e a mídia secular. Para alguns, essa é uma das razões do cristianismo hoje, lá, estar em crise: a mistura do 'sagrado e do profano'.

É para se pensar também o fato de que a maioria dos segmentos e de todas as religiões e organizações estarem sempre amarradas ou organizadas hierarquicamente, seja pela utilização de ferramentas como discípulo/discipulador, pastores presidentes, etc e tal..  O que não acontece e nem nunca aconteceu no meio musical como um todo. À princípio, numa rápida análise pela história de todos os movimentos musicais, as reverências entre músicos nunca passaram da admiração , na maioria das vezes, técnica, e nunca pela humildade ou  reconhecimento entre líderes e liderados. A única liderança e cabeça pensante desse grupo, no geral, sempre foram os interesses comerciais até então sob a batuta das gravadoras. No meio evangélico, para além da necessidade comercial, há também a ligação e o elo que é respeitado entre igreja e seus líderes e os músicos.  Agora, com a crise fonográfica por conta das novas mídias digitais, como se organizará tecnicamente e moral/espiritualmente essa classe?


Rio, seus filhos ( e seu Prefeito) se levantam

4 comentários


O Apóstolo Terra Nova com a chave da cidade do Rio tendo ao fundo, no telão, o Prefeito Eduardo Paes Créditos: Pra. Caroline Coutinho




Milhares de 'filhos' da cidade do rio de Janeiro lotaram o Maracanãzinho na última sexta-feira e sábado (dias 16 e 17), juntamente com o prefeito da cidade, Eduardo Paes, para participarem do “Rio, seus filhos se levantam para mudar a sua história”, um congresso religioso protestante, que faz parte da “Visão Celular no Modelo dos 12”, liderado pelo Apóstolo Renê Terra Nova.

O Congresso, como ocorre todo ano na cidade maravilhosa, celebrou os “frutos”, que são novas pessoas convertidas ao evangelho como consequência das atividades evangelísticas das igrejas. Num estádio com sua capacidade de mais de 11 mil pessoas quase lotado, principalmente no sábado, como era aguardado pelos organizadores, o que mais chamou a atenção foi o clima vibrante de festa e as cores, com a qual todos iam vestidos especificamente para identificar suas respectivas igrejas e líderes.

Para o Apóstolo Joel Pereira, pastor presidente do Projeto Vida de Volta Redonda, que mobilizou uma verdadeira multidão até o estádio, o motivo era de agradecimento pela vinda de seu líder. Por meio de seu twitter ele falou sobre Renê Terra Nova “ Somos muito gratos pela sua vida ao Rio de Janeiro. Sei que os céus serão transformados” Sem deixar de notar a presença de sua comunidade no local, na cor preta “ A turma de preto surpreende. Parabéns, impactamos o Rio de Janeiro!”. Finalizou.

O congresso teve seu ponto alto na noite de sábado, quando o prefeito Eduardo Paes, presente no palco, entregou nas mãos de Terra Nova a chave da cidade maravilhosa, a exemplo do que faz com o Rei Momo, todo ano nos carnavais. Para Renê o ato tem uma importância simbólica muito grande: “Após os últimos congressos nessa cidade fui ameaçado juntamente com a minha família por estar agindo como Deus me orientou aqui. Alegavam que nem carioca eu era, então, o que estava fazendo aqui? Há pouco tempo fui honrado com essa posição com a medalha Tiradentes, o que será que eles vão dizer agora que eu tenho a chave da cidade?” Indagou o apóstolo mostrando o objeto.


Além da importância no meio evangélico que Renê e as igrejas da Visão Celular no Modelo dos 12 vem alcançando, está a importância fora desse nicho também. Outro exemplo de influência é a proximidade do governador de Manaus com o apóstolo, que é presidente do Ministério Internacional da Restauração, no Amazonas, e o fato de um de seus discípulos ter sido eleito o terceiro vereador mais votado de Manaus, o também apóstolo Marcel Alexandre, que segundo Renê alegou em “primeira mão” no Rio de Janeiro, será em breve o presidente do Brasil.

Terra Nova, que é constantemente atacado por ícones protestantes no país, é o responsável por implantar uma nova 'visão' nas igrejas do país chamada “Visão Celular no Modelo dos 12”. A visão, inspiração bíblica, segundo ele, foi aprendida na Venezuela, com o apóstolo Cesar Castelaños. Ao chegar aqui, como embaixador desse 'novo' formato de atividades religiosas no país, Renê implantou as suas grandes características: a criação de grupos de compartilhamento do conhecimento bíblico em casas, que tem como objetivo se multiplicar, daí o nome célula; e a noção de que cada membro de igreja pode ser um líder, responsável por auxiliar com conselhos e apoios morais e espirituais outras 12 pessoas, daí o nome “modelo dos 12”, à exemplo de Jesus e seus 12 discípulos. Essa nova visão é famosa por, além de aumentar o número de membros de igreja exponencialmente em pouco tempo, dar noção aos participantes de respeito à hierarquia secular e eclesiástica e por tratar individualmente cada membro com base nos conceitos bíblicos.

O congresso terminou com algumas certezas. Entre elas a de que apesar do estardalhaço social e político (haja visto a grande concentração de pessoas que, por iniciativa própria e consenso comum podem votar numa mesma pessoa) ele ainda, sabe-se lá porque, ainda não ganhou a grande mídia. O que, até aqui, não se mostrou necessário para lotar o Maracanãzinho e receber da boca do próprio Eduardo Paes a promessa de que no ano que vem, o próximo congresso tem novo endereço: o Engenhão.