Julho 2010

Festa no Apê

1 comentários

Ter amigos é como dar festa em casa. Eles vão chegando; muitos convidados esperados, outros tantos convidado forçados e mais uns que simplesmente chegam, que nem folha morta em corrente d’água. Quando dei por mim já tinha gente pelo quarto, mexendo no meu quadro, bebendo em meus copos, revisitando meu passado por fotos. E eu não queria tudo isso! Só queria uma festa hoje, aqui em casa. Murilos, Albertos, Antonias, todos eles confortavelmente sentados no meu sofá verde falam comigo, me olham como seu fosse o convidado principal em uma arena,em minha própria casa, em minha própria vida. Falam de mim entre si, na minha casa. Beliscando meus salgadinhos, me fazem perguntas íntimas, eu assustado, meio sem jeito, os respondo. Torço pra todo mundo ir embora no início mas sempre deixo a porta entreaberta , um dia vou querer que eles voltem. Tudo é fase , irmão.  Independentemente de minha fase, meus verdadeiros amigos continuam na minha vida, vão continuar vindo na minha casa, entrando no meu quarto e usando meu banheiro de noite. Falam alto, de assuntos que não gosto e eu só quero ficar sozinho.Me trazem reclamações que vou receber amanhã de manhã na portaria. Caras feias de outros vizinhos amigos por causa dos carros de meus amigos estacionados lá embaixo. Quando por fim, enfim, tudo se acaba há sujeiras no chão, o sofá, que eu tanto ajeito com a parte de fora do meu joelho, torto, o tapete que eu não quero mas sempre ficou ali já tá sujo de alguma bebida e finalmente agora tenho uma razão mais forte que minha vontade pra tirar ele dali, os vidros todos marcado de dedos de estranhos amigos. Amigos são como uma festa em casa. Que voltem sempre

Meleca e Caga-Osso

1 comentários
-Olha lá Meleca! Olha o sorriso do camarada enquanto dorme. Isso é amor cara, AMOR. Não adianta Melequinha, quando o cara é amado não tem jeito, é felicidade na certa!

-Pô Caga-Osso, tu vai ficar falando aí ou vai me ajudar a pular essa janela?!?!

-Cara, tô chegando na seguinete conclusão: Pode faltar água, arroz feijão, até meu Flamengo, que tá mal das pernas, num domingo. O que não pode faltar é amor Melequinha! Olha o sorriso dele dormindo abraçado com a esposa! Olha a felicidade no ar! Percebe a tranquilidade no quarto?

-Caga-Osso, pela última vez! Isso aqui é um assalto cara!! Você vai me ajudar a catar as coisas ou não?

-Sabe meu Melequinha, só agora vejo quanto eu dei mole com a Josislaine, minha nêga-neguinha...

-CHEGA CARA! TU TÁ MALUCO?

-SSHHHHIIUUUU! Tu quer acordar o casal Melequinha? Que que tá pegando?

-Tá pegando que desde que agente chegou tu tá com esse papinho de amorzinho pra lá, amorzinho pra cá, minha neguinha que não sei o quê...

-Eu tenho pensado muito sobre isso cara. Sobre minha neguinha...Sobre minha filhinha...Eu quero amar a criança, dar tudo pra ela, entende? Não quero fazer que nem meus pais fizeram comigo...

-Então meu chapa! Tá aqui a nossa chance! São três da manhã, a gente tá aqui na casa desse palyboyzinho pra pegar a grana e ir embora, só isso. Não é pra tu ficar sentando na cabeceira da cama como tu tá aí, reclamando tem dez minutos que não é amado, que nunca amou, esse lero-lero. Umbora! Vamo logo!

-Tem razão Melequinha! Ninguém me ama mesmo. Deve ser porque eu nunca amei ninguém também. Ou pode ser a...

-Caga-Ossinho do meu coração, eu te amo cara! Agora sai daí e vamos logo que eu não tô aguentando mais essa meia na minha cabeça! Teu irmão tem um chulé majestoso.

-Tá legal, vamos nessa...

-Pera aí... Ouviu isso?

-Que barulho foi esse?

-Sei lá cara, muito estranho...

-Deve ser a polícia cara! A filha mais velha deve ter acordado e chamado os homí cara...A gente vai pra cadeia sem eu ter amado ninguém ainda cara! Não quero ir Melequinha! Tá me dando dor de barriga!!!Tô nervoso!

-Me solta cara! Tu ficou com esse papinho de amor aí! Agora lá na cadeia o que não vai faltar é teus irmãos de cor pra querer te amar por lá...

-GENTE, O QUE TÁ HAVENDO NA MINHA CASA?!?! QUEM SÃO VOCÊS DOIS?!?!

-A senhora pode ficar calma, a gente só veio aqui pra amar e ser...

-CALA A BOCA CAGA-OSSO! É O SEGUINTE CHEFIA, ISSO AQUI É UM ASSALTO. EU E MEU MANO CAGA-OSSO VAMO FAZER A LIMPA NA CASA E NÃO TEM DESENRROLO! O SENHOR E A SENHORA CONTINUEM QUIETINHOS, DEITADINHOS AÍ. CAGA-OSSO, VIGIA ELES AÍ QUE EU VOU FAZER A LIMPA AQUI NO ARMÁRIO...

...

-Oi,boa noite. Me chamo Robert, mas meus íntimos me chama de Caga-Osso. Sabe senhores, desculpem meu amigo Meleca, ele anda meio estressado...Sabe como é né, essa vida corrida...

-Só não façam nada comigo e com a minha mulher! Por favor!

-Que isso meu senhor...fica tranquilo. Sabe, vocês dormindo tava tão bonitinho. Rindo, abraçadinhos...

-(risos)É...nós nos amamos muito mesmo...

-Que legal! Se nota, se nota. E vocês tão juntos tem quanto tempo?

-Vão fazer...Pera lá, que hora são?

-É hojeee meu amorrr!!! Feliz 3 anos meu amor. Ahhh como eu tenho amado você todos esses anos, e vou amar sempre mais e mais! Você tem sido um homem incrível, um exemplo como pai de família!

-Ahhh eu também te amo! A mulher da minha vida!

-Hummmm, me dá um beijo e me abraça então!?

-Claro minha princesinha...Caga-osso, deixa de manha rapá, vem dá um abraço na gente também cara...

-Jura?!?!Deusculpa eu chorar assim mas, é que nunca ninguém pediu um abraço meu...

-Ah moço, essas coisas acontecem. Eu, por exemplo, amo demais meu marido sabe, as crianças e todo mundo. O amor é como uma terapia, tira tudo de ruim de dentro de você, tá entendendo o que eu digo?

-Tipo laxante?

-...É Caga-Osso...Eu por acaso, nunca tinha amado ninguem como amo essa mulher hoje...Aliás, vou aproveitar esse momento, me ajoelhar e...Nina, você quer casar comigo?

-Que isso broder!!!Melecaaaa!?!? Melecaaa!?!!? Vem ver o que tá rolando aqui cara!?!?

- Que que é Caga-Osso? CAGA-OSSO, QUE QUE O CARA TÁ AJOELHADO, TU QUER MATAR O HOM...SANTO DEUS!!! QUE ALIANÇA É ESSA? É UM CASAMENTO...mas esses caras não eram casados?

- Sei lá e nem quero saber. Além do mais, vamos deixar esse assalto pra segunda que vem né meleca...Hoje não tô mais no clima. Sou pobre há 24 anos, uma dia mais, dia menos não vai fazer muita diferença...Deixa isso pra lá , e olha, vamos embora por onde a gente entrou mesmo. Mas, não é demais meleca? É isso que é o amor cara! Meleca? Pô meleca, tu tá chorando cara?

-Não cara, cisco...foi só um cisco...

-Ahhh, sei, sei...Mas vamos indo...

-Caga-Osso...?

-Que é?

-Teu chapa aqui, o Meleca te ama cara!

-Qual é a tua Meleca? Não tá ligado que saindo daqui tô decidido a amar minha nêga de novo?

-Não é nada disso cara, não é nada desse tipo pô...

-Tá, depois a gente resolve. Vamos passando por aqui, que eles não vão nem nos ver Melequinha, vem...

-É claro que eu aceito me casar com você meu lindo, meu amor!!! Hoje é o dia mais feliz da minha vida, vem cá...

-Ah meu Deus...

-Ahh meu pai...

-Caga-Osso...Ah, meu Deus...Eles vão...Jesus, Maria , José...

-Os caras tão fazendo a parada aqui e agora Meleca!!! Que que a gente faz???

-QUE ISSO CARA!!!UMBORA QUE A DONA JÁ TÁ FAZENDO CARAS E BOCAS DE GRITO MELECA, UMBORA DAQUI!!!

...

-Pô Meleca meu irmão, que igrejão bonito ein...

-Pois é Caga-Osso, aqui a parada é de bacana, a parada é séria. Olha quanta gente bonita. Família do noivo aqui, da noiva alí...

-Acerta essa gravata aí cara!

-Pô, e esse teu terno ai? Fedendo a naftalina? Ainda quer vim falar da minha gravata?

-Caga-Osso...

-Fala cara...

-Quem é que diria que no dia em que íamos roubar uma casa, a gente ia ser escolhido padrinhos de um casamento...

-É o tal do amor e todos os seus caminho né cara, o tal do amor...

Uma ótima pergunta

0 comentários
Estava bem no leblon aquele dia. Vazio e aconchegante. Por vezes engatinhava, outras só sentava de cócoras e mais outras descansava nas perninhas de chinês mesmo, sempre com os olhos mansamente fechados. A paz era de um monge.Tentava descansar do cansaço de tanto olhar para aquele céu, azul bebê que sempre profetizava que um belo dia chegava, enquanto perguntava uma boa pergunta.

Era um certo alguém muito prendado, inteligente, bem visto, rico e até muito belo pelo gosto de todas as vizinhas do condomínio, que sonhavam com ele enquanto ignoravam a presença do marido no outro polo da cama. Tinha, sempre teve , pouca sorte. Pouca antes, ontem, agora nenhuma. Desitira de tê-la. Por opção própria, não queria contar mais com ela. As mãos numa atitude impensada apalpavam preguiçosamente a areia da praia, esmagando os milhares de grãos nos dedos enquanto na cabeça surgia um mantra e muitas cores: Sorte é preciso tirar pra ter.

Por isso tirava a sorte fazendo perguntas insanamente. Aquele corpo amorenado sempre dado a fazer perguntas e mais perguntas. Pra tudo e pra todos. O menino do Rio perguntava a hora? Vai chover? Chefinho, posso sair de férias? Eu gosto de você, e você, gosta de mim? Quer ficar comigo? Quer namorar comigo? Casa comigo? Existe vida após a morte? Por que eu rio enquanto o que você só faz é chorar? Eu sou mesmo uma pessoa boa? Posso ir embora? O que foi que eu fiz? Por que não eu?
Sempre saia da língua ótimas perguntas pra qualquer um. Assim ia construindo suas oportunidades. A tristeza vinha era junto com as respostas, de mansinho. Na maioria das vezes que o Não encabeçava a frase , fazia sempre voltar aquela angústia que ele sentia quando era contrariado. Nâuseas. Vômito. Não era acostumado com nãos. De tanto chorar pelas respostas, desistiu de perguntar. Era alguém hoje, agora, ignorante, mas feliz! Muito feliz. O seguro morreu de velho. Faltando uma pitada de sal.

Sem resposta e com medo de perguntar, abdicou da sorte.

A sorte é que não largou ele. Estava de frente pro mar, vendo o sol se pôr, do lado de quem ama, em paz com tudo e todos, um par com Deus quando se deu conta de que sua última pergunta acabava de ser respondida: Isso é o que eu chamo de felicidade.

Sophia

1 comentários
Essa é a graça de ficar sozinho. Quando se gosta, se acha interessante, é saudável se encontrar sozinho num quarto ou num cruzamento só com você mesmo. Mas nunca se ache interressante demais, você pode ficar com ciúme ou, com até, complexo de inferioridade. Não seja narcisita. Ficar enjoado de si mesmo deve ser terrível. Se sentir só e se sentir pertencente à alguém, seja daqui ou de qualquer lugar é um fruto bom. Doce e bom fruto. Doce também é estar na companhia de um cachorro, de um gato. Um só, muitos dão dor de cabeça. São amores também mas, te fazem pensar se não seria melhor não ter nenhum. Olha pro bichano, o bichano olha pra você e a decisão mágica surge: vamos passear! Coleira, treinamento no estacionamento de trazer o cachorrinho juntinho sempre ao seu corpo , não pode latir, tá combinado? Enfim, estes são verdadeiros gentlemen. Pêlos bem cuidados e brilhosos. Lustrados de melhor ração. Labradores, Golden Retriever, Poodles (argh).
E desce o elevador com aquele linguão úmido para fora, sentadinho, dando orgulho ao dono. Saem pela protaria, tá sol, muita luz e pouco calor como gosta todo mundo. Essa gente bronzeada. Boa tarde, boa tarde. São pedras portuguesas que enfeitam essa momento mágico e raro, o céu sem nenhuma nuvem e eu sozinho, quer dizer com o cão, enquanto em casa, a cena é a mesma de sempre. O sol de fim, meio, início de tarde entra pela varanda e quem absorve ele esparramado pelo chão é Sophia, que significa sabedoria. Uma gata preta de poucos amigos e nada social. Minha gata tem um poder incrível. Alguns segundos lembrando dela, e a vontade que dá é de deixar de lado o dia maravilhoso aqui de fora, dar meia volta com o cão, e deitar do lado dela num veraneio, se deixar levar pelo tempo vazio, mesmo sabendo que um ou dos minutos depois, ela vai embora por não gostar de ficar com ninguém.Isso sim é a sabedoria dela. Essa gata sim sabe a graça de ficar sozinha.